Morre Coquinho, ex-jogador da AFE e atual comentarista de futebol

12.09.2016
Morre Coquinho, ex-jogador da AFE e atual comentarista de futebol

O futebol araraquarense perdeu na madrugada desta sexta-feira (9), uma das suas personalidades mais marcantes. O ex-jogador e atual comentarista, Osmar Alves Coco, 65 anos, faleceu em casa enquanto dormia, em Campo Grande. Coquinho, como era conhecido nos campos e na imprensa esportiva, também atuava como empresário do ramo alimentício.

De acordo com informações da família, Coquinho passou mal no início da madrugada e uma viatura do Samu chegou a ser acionada, mas a morte do ex-jogador foi confirmada por volta das 3h devido uma parada cardiorrespiratória. O velório está marcado para a manhã deste sábado (10), no Memorial Park.

Natural de Araraquara, Coquinho nasceu no dia 5 de julho de 1951 e começou a carreira na Ferroviária. Depois, chegou a fazer parte do elenco do São Paulo até ser contratado pelo Comercial, clube que depois disse ser torcedor. Jogou ainda pelo América-MG, Vitória-BA e Dom Bosco-MT. No futebol sul-mato-grossense defendeu a SEI (Sociedade Esportiva Industriária), marcando 22 gols no Campeonato Estadual de 1977 e o Taveirópolis.

Enquanto jogava, além dos gols, Coquinho era marcado pelas frases de efeito e provocativas aos adversários. Essa irreverência levou para o rádio como comentarista na Rádio Difusora Pantanal como parceiro fixo de Ricardo Paredes no programa diário Difusora EC. Os dois e ainda Elson Pinheiro apresentavam o programa Os Donos da Bola MS, na TV Guanandi até meados de julho.

Magal
Uma das histórias que mais gostava de contar foi o dia em que foi confundido com o cantor Sidnei Magal no aeroporto de Belém quando o Comercial chegou para uma partida pelo Campeonato Brasileiro na década de 70. “A delegação do Comercial um dia desembarcou no aeroporto de Belém, o jogo seria contra o Remo ou Paissandu. 

O Sidney Magal também estava sendo esperado pelas fãs no aeroporto e começaram pedir ao Coquinho autógrafos confundindo ele com o cantor. Ele, lógico, foi num embalo com sua alegria e irreverência”, conta o cronista esportivo Arthur Mário.

Texto e foto: Thiago Carvalho/Assessoria AFE

Revista Cidade

Publicidade

Brasil