Ferroviária corre sério risco de rebaixamento

04.04.2016
Ferroviária corre sério risco de rebaixamento

Desafio é grande e direção do clube anunciou demissão do treinador português Sérgio Vieira

Perder em casa para o Botafogo de Ribeirão Preto aproximou perigosamente a Ferroviária do rebaixamento para a Série A2 do ano que vem. E o risco de queda fica latente quando se observa com um pouco mais de atenção a tabela do campeonato, cuja 15ª e última rodada da primeira fase acontece no próximo final de semana.  

A derrota na última partida que o time faria como mandante no campeonato fez com que a equipe grená estacionasse nos 16 pontos (13º lugar), mesmo número alcançado por Água Santa (14º lugar) e Botafogo (15º, e o primeiro time na zona de rebaixamento).

Água Santa e Botafogo são os dois times que mais ameaçam a Ferroviária no momento. As outras equipes que ainda podem ultrapassar o time grená são o Mogi Mirim (15 pontos e 3 vitórias - 16º colocado)  XV de Piracicaba (14 pontos e 3 vitórias - 17º colocado)- Oeste, Capivariano e Rio claro já estão rebaixados.

Lembrando que serão seis os rebaixados este ano, a tabela faz acreditar que de todos os times ainda com chances de escapar da degola a situação mais difícil parece ser a do Mogi, que na última rodada pega o Palmeiras - ainda brigando para se garantir na fase decisiva do campeonato - no Allianz Parque.

Também desesperadora é a situação do XV, que além da obrigação de vencer sua última partida terá de torcer contra Mogi, Botafogo, Agua Santa e Ferroviária. O XV enfrenta o já rebaixado Oeste. O problema é que o jogo será em Itápolis.

Ainda na zona de rebaixamento a situação do Botafogo (16 pontos e 3 vitórias) parece bem encaminhada para a última rodada, quando o time recebe, em seus domínios, o já rebaixado Capivariano. Para escapar da degola o Bota terá de vencer o jogo - o que não deverá ser complicado - e torcer contra Água Santa ou Ferroviária. 

Outro time ameaçado pelo rebaixamento, o Agua Santa (16 pontos e 4 vitórias) terá um grande desafio pela frente. O time de Diadema joga em casa contra o São Bernardo (20 pontos), time que ainda luta por uma das duas vagas do Grupo B  para seguir do campeonato.

O grupo B é liderado por Palmeiras e Novorizontino, com 21 pontos cada, e a única esperança do São Bernardo é conseguir a vitória em Diadema e torcer para que o time de Novo Horizonte perca para o Corinthians, no Itaquerão. 

Por fim, a Ferroviária, que apesar de levar vantagem no número de vitórias contra todos os adversários que a ameaçam (o time tem 5), não tem pontos suficientes para escapar do rebaixamento somente através desse critério (só será de utilidade caso XV de Piracicaba e Mogi Mirim não vençam seus jogos, e Ferroviária, Água Santa e Botafogo terminem a última rodada com o mesmo número de pontos).  

O time grená fecha sua participação no campeonato jogando em Lins, contra o perigoso e desinteressado Linense, e só a vitória livra a Ferroviária de qualquer risco. Se empatar, terá de torcer contra Água Santa (joga a sobrevivência no campeonato em seus domínios) e Botafogo (pega em casa um os times mais fracos do Paulistão 2016).

A situação é dramática.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil