Ferroviária cai na chave do São Paulo, e pega Corinthians, Palmeiras e Santos no Paulistão 2016

05.11.2015
Ferroviária cai na chave do São Paulo, e pega Corinthians, Palmeiras e Santos no Paulistão 2016

Clubes e FPF definiram formato e regulamento do Paulistão 2016. Ferroviária caiu na chave do São Paulo

A Federação Paulista de Futebol (FPF) sorteou, nesta quinta-feira (5), os quatro grupos para a proxima edição do Paulistão. A Ferroviária, que entra na competição após quase 20 anos fora da série A1, enfrenta times como o Corinthians e Palmeiras em 2016. Veja os grupos abaixo.

O campeonato será organizado com quatro grupos de cinco clubes onde cada time jogará em turno único com as demais equipes dos outros grupos, e classificam-se para as quartas de final os dois melhores colocados de cada grupo.

As quartas de final e semifinal serão disputados em jogo único, e o mando das partidas será dos clubes com melhor campanha na somatória da competição. O campeão será definido em jogos de ida e volta. O torneio começa em 31 de janeiro e definirá seu campeão em 8 de maio.

Uma novidade estará no banco de reservas. A partir de 2016, os times poderão contar com até 12 jogadores entre os suplentes no campo de jogo, a exemplo do que já ocorre em competições da Fifa e da CBF. Está mantido o limite de inscrição de 28 atletas por clube.

O Paulistão Itaipava 2016 irá premiar também a melhor equipe do interior. Excluindo o campeão e vice do torneio, o troféu "Campeão do Interior" será entregue ao clube do interior com a melhor campanha.

Descenso pontual

Para adequar o campeonato ao novo formato de 16 clubes a partir de 2017, seis clubes, e não quatro, serão rebaixados à Série A2. Ao mesmo tempo, dois clubes irão conquistar o acesso da Série A2 para a Série A1 de 2017, quando voltará o formato original de quatro acessos e quatro descensos.

Em 2016, serão rebaixados os seis times de pior campanha de todo o campeonato, independentemente dos grupos. Caso um único grupo abrigue quatro ou cinco times de pior campanha, classificam-se para as quartas de final, respectivamente, o melhor ou os dois melhores terceiros colocados dos demais grupos.

Decisão

A reunião do Conselho Técnico da Série A1 do Paulistão Itaipava 2016 também decidiu que o Água Santa, de Diadema, teria até a meia noite dessa quinta-feira, 05, para apresentar documentos que garantam sua participação no campeonato. A agremiação não teria atendido a tempo aos requisitos exigidos em Regulamento para a inclusão de seus estádios.

De acordo com o regulamento, os clubes que disputam a Série A1 da competição devem mandar seus jogos em estádios com capacidade mínima de 10 mil lugares.

Caso o Agua Santa não conseguisse apresentar os laudos exigidos pela FPF o Mirrasol seria o substituto do time de Diadema.

Tudo ok

Depois de toda a confusão causada pelas dúvidas tornadas públicas pela FPF, a diretoria do Água Santa, time que conseguiu três acessos seguidos no Paulista, protocolou na noite dessa quinta (5) dois laudos técnicos que mostram que o Estádio de Inamar tem capacidade de 10.179 lugares, númro, portanto, superior à exigida pela Federação Paulista de Futebol para que as equipes que disputam a primeira divisão do Estadual em 2016.

No sorteio das chaves, na manhã dessa quinta, no grupo que reúne Corinthians, Red Bull e Rio Claro, o quarto time do grupo foi chamado de “Acesso 4″, já que se o time de Diadema não comprovasse a capacidade de seu estádio, quem entraria em seu lugar seria o Mirassol, que foi o quinto colocado na Série A2.

Carta endereçada pelo clube ao presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, pede que a equipe que conseguiu o acesso à elite este ano seja incluída na tabela de jogos do Paulista de 2016.

“Essa é uma história de Cinderela'', diz o presidente do Água Santa, Paulo Sirqueira Korek Farias, irmão do vereador araraquarense, João Farias. “É o que a torcida, a cidade inteira está esperando após termos conseguido três acessos seguidos", disse Paulo.

Segundo o dirigente, além dos laudos dos engenheiros, foram encaminhados à federação um laudo do Corpo de Bombeiros e um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado com o Ministério Público.

Os laudos serão, agora, examinados pela FPF.

Confira as chaves na imagem em anexo, logo abaixo da matéria:

Revista Cidade

Publicidade

Brasil