Série Deslocamentos traz a artista Priscila Rezende para compor as discussões

14.09.2017
Série Deslocamentos traz a artista Priscila Rezende para compor as discussões

Por meio de duas performances e uma bate-papo com o público, a artista mineira traz à tona as questões étnicas e de gênero na sociedade brasileira

Dando continuidade à programação do projeto Deslocamentos, que propõe ao público um olhar mais próximo para questões constantemente debatidas na sociedade contemporânea como as de genêro, racismo, empatia e convivência, na próxima semana, a artista Priscila Rezende chega ao Sesc Araraquara e apresenta duas performances, além de fazer uma conversa com o público.

Mineira de Belo Horizonte, a artista  desenvolve um trabalho como performer, colocando seu corpo  em situações que questionam o espaço social destinado à mulher negra. Ela parte de experiências pessoais e, de forma direta e honesta, propõe uma poética carregada de forte teor sociopolítico, abordando questões étnicas e de gênero na sociedade brasileira. 

No bate-papo Mulheres Negras em Presença, que acontece no sábado (16), às 14 horas, ela traça um panorama da atual produção em performance de artistas mulheres negras brasileiras que expõem em seus trabalhos discussões imagéticas acerca dos diálogos raciais no Brasil. 

Dia 15, sexta, 15h - Tendo como ponto de partida a música “A carne”, de Elza Soares, na Performance Barganha o corpo da artista é mercantilizado em uma caminhada por vários espaços da unidade, e por meio de etiquetas de preços vão gradativamente sendo reduzidos, questionando a objetificação do corpo feminino negro. 

Dia 17, domingo, 15h - Em bombril, a performer esfrega objetos domésticos de alumínio com os próprios cabelos, questionando uma extensa lista de apelidos pejorativos utilizados em nossa sociedade para se referir ao cabelo do indivíduo negro. 

Dando sequência à programação, na terça-feira (19), às 20 horas, é a vez da MOSTRA MULHERES NEGRAS, às 20 horas, no Teatro do Sesc. A programação compõe também o Circuito Curta Kinofórum, com entrada gratuita e retirada de ingressos 1 hora antes do início da sessão.

Partindo do conceito “uma sobe e puxa a outra” – um dos principais alicerces da noção de apoio mútuo entre as mulheres negras na missão de garantia de sua existência e lugar de fala no feminino – as cineastas foram convidadas a olhar para sua própria produção cinematográfica e a encontrar obras de outras realizadoras negras que dialogassem com a audiência da Mostra.

 

MOSTRA MULHERES NEGRAS

Brasil | 73 min | 12 anos

 

Kbela

Dir.: Yasmin Thayná

 

Mucamas

Dir.: Coletivo Nós Madalenas

 

Òrun àyié, a criação da noite

Dir.: Jamile Coelho e Cintia Maria

 

Cores e botas

Dir.: Juliana Vicente

 

Mc Soffia

Dir.: Renata Martins

 

Buh D’angelo

Dir.: Carol Rodrigues

Revista Cidade

Publicidade

Brasil