O MAPA está aberto com três exposições imperdíveis

19.12.2016
O MAPA está aberto com três exposições imperdíveis

O Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara (MAPA) disponibiliza para visitação três exposições imperdíveis: “Areias do passado, marcas no presente”, “Múltiplos Olhares” e “Trajetórias de Aracoara”.

 

“Areias do passado” - A exposição de paleontologia “Areias do passado, marcas no presente” - numa realização da Fundação Araporã - conta a história da região de Araraquara. Das areias de um deserto de 135 milhões de anos aproximadamente, Araraquara construiu sua base no presente. Trata-se das areias sobre as quais andavam os dinossauros e mamíferos do Cretáceo e também de areias que compõem o arenito por onde andam os araraquarenses hoje.

De forma simplificada, a exposição traz informações e propõe reflexões sobre as pegadas encontradas nas calçadas de Araraquara. O objetivo principal é valorizar o registro fossilífero (pistas e pegadas fossilizadas) de Araraquara como um patrimônio produzido no passado, mas ressignificado no presente pelo olhar da ciência e, principalmente, da sociedade, que convive diariamente com ele.

Os recursos expositivos trabalham com questões sobre como, quando e onde essas pegadas foram formadas e o que elas podem representar para a população. O grande destaque é o cenário que simula o ambiente em que esses registros foram produzidos e os organismos que deixaram suas marcas.

 

“Múltiplos Olhares” - Já a exposição “Múltiplos Olhares” instiga o interesse do público sobre o universo da Arqueologia e da Paleontologia, para buscar uma visão ampla sobre o assunto e a história em Araraquara. Com uma expografia contemporânea e atrativa a exposição reflete uma arqueologia inovadora, que estuda o passado a partir das questões do presente.

A exposição se divide em três módulos. No primeiro deles, se destaca a atuação do Mapa, suas coleções, e a diferença entre Arqueologia e Paleontologia. Aqui está instalado um painel, com uma Linha do Tempo, localizando e situando Araraquara e o Estado de São Paulo no contexto mundial. As sociedades humanas que viveram nos campos de Araraquara são o mote do segundo módulo, revelando experiências de 10 mil anos atrás até o presente. A última etapa apresenta as arqueologias do século XXI, retratadas pelo acervo do Mapa. São 40 gavetas portando as mais representativas peças das coleções do museu.

 

“Trajetórias de Aracoara” - Ainda, o visitante pode conferir na Sala Temporária, a exposição “Trajetórias de Aracoara – a história de Araraquara não começa com Pedro José Neto”, promovida pela Fundação Araporã. A exposição reúne redações e desenhos dos alunos e alunas da educação básica do município que participaram dos dois concursos promovidos pela Fundação Araporã em 2014 e 2015, em parceria com a Escola do Legislativo/Câmara Municipal, e com apoio da Delegacia Regional de Ensino, Secretaria Municipal de Educação, Museu Histórico Pedagógico “Voluntários da Pátria” e do próprio MAPA.

Trata-se de uma proposta inserida nas discussões sobre educação e diversidade étnico-racial no país, buscando promover o respeito às diferenças e o combate à discriminação histórica contra os povos originários. A exposição tem como objetivo fundamental valorizar a produção textual e artística dos alunos, assim como o empenho dos docentes e o incentivo das escolas na construção desses conhecimentos.

O MAPA está localizado à Rua Voluntários da Pátria, na esquina da Avenida Portugal. Neste domingo a visitação poderá ser realizada entre 10 e 13 horas; durante a semana o horário de visitação é: de segunda à sexta-feira, das 12h15 às 17h45 e, aos sábados, das 9 às 11h45.

Serviço:

MAPA (Museu de Arqueologia e Paleontologia de Araraquara)

Local: Rua Voluntários da Pátria, esquina da Avenida Portugal

Horário de visitação: de segunda à sexta-feira, das 12h15 às 17h45; aos sábados, das 9 às 11h45

Entrada gratuita

Revista Cidade

Publicidade

Brasil