Companhia de dança francesa se apresenta na Abertura do 18º Festival Internacional de Dança de Araraquara

12.09.2018
Companhia de dança francesa se apresenta na Abertura do 18º Festival Internacional de Dança de Araraquara

Criado por Denise Namura e Michael Bugdahn, o espetáculo Au-delà du temps foi criado especialmente para a comemoração de 20 anos da existência da Cie. À Fleur de Peau

A Companhia «à fleur de peau» é dirigida pela bailarina e coreógrafa brasileira radicada a França, Denise Namura, e pelo bailarino e coreógrafo alemão, Michael Bugdahn. Fundada em 1988 em Paris, ao longo de 29 anos de trabalho desenvolve e sedimenta um trabalho único, tanto nas artes do espetáculo como no ensino da dança, em contextos formais e não formais. Tais processos se deram com uma formação pluridisciplinar ligada à pesquisa do movimento dançado. A dupla se apresenta, cria para outras companhias, faz acompanhamentos artísticos e ensina dança em diversos países.

O presente é um passado que está para vir. O passado, um futuro já consumido e o futuro, um presente que nos espera de braços abertos. Construído em torno do íntimo e do tempo, o espetáculo Au-delà du temps apresenta um leque de coreografias do repertório da companhia, e não tenta criar uma ligação entre ontem e hoje, mas sim além do tempo.

Predileções, obsessões, gestual, narração, sonhos, imagens. Uma máquina coreográfica que leva o tempo de volta. A riqueza dos detalhes estimula a imaginação e as emoções do público que acaba se reconhecendo na fragilidade e nos conflitos das situações aqui vividas. Um momento cheio de surpresas para explorar a trajetória artística e a linguagem específica dos dois coreógrafos, que continuam sempre defendendo sua autenticidade e distantes de fórmulas estabelecidas.

Criado especialmente para a comemoração dos 20 anos de existência da companhia, o espetáculo está em cartaz no Teatro do Sesc Araraquara no próximo sábado (15), às 20 horas, e celebra a abertura do 18º Festival Internacional de Dança de Araraquara. Os ingressos para a apresentação são gratuitos e devem ser retirados na Central de Atendimentos da unidade, uma hora antes do início do espetáculo.

 

Concepção artística - Desde sua criação, a companhia «à fleur de peau» desenvolve um trabalho pluridisciplinar. A partir de sua formação inicial em diversas áreas cênicas, os dois coreógrafos desenvolveram uma linguagem que lhes é específica: uma dança que, de certo modo, continua intensamente ligada ao gesto carregado de sentido, ao significado, a um tipo de semiologia do movimento. Eles contam histórias através desta linguagem corporal, oscilando sempre entre cotidiano e abstrato, entre individual e universal, entre emoção e burlesco, entre trágico e cômico.

O resultado deste trabalho tão original são peças coreográficas híbridas, com um grande enfoque na troca e na cumplicidade com o público, indo além de quaisquer etiquetas. Os dois coreógrafos consideram igualmente a pedagogia como um aspecto essencial de sua pesquisa. Desde a criação da companhia, eles se dedicam a diversas ações pedagógicas e de sensibilização em torno de seu trabalho de criação.

A companhia faz um trabalho de transmissão de seu repertório, de sua linguagem e de sua técnica para outras companhias ou bailarinos, assim como para alunos em dança contemporânea do Conservatoire National Supérieur de Musique et Danse de Paris, ou para atores dotados de uma formação pluridisciplinar. No Brasil, assim como na Europa, Denise e Michael coreografaram para diversas companhias, como Cia. Cisne Negro, Balé da Cidade de São Paulo, Cia. de Danças de Diadema, Grupo de Dança 1° Ato, Bernballet (Suíça) e a Cia Portuguesa de Bailado Contemporânea (Portugal).

Ela organiza regularmente workshops dirigidos à profissionais ou amadores, e também durante o ano todo, oficinas de sensibilização dirigidas às crianças de todas as idades. Denise Namura e Michael Bugdahn trabalham igualmente com um público mais específico, em hospitais psiquiátricos ou em estabelecimentos sociais e nos últimos anos vêem fazendo um acompanhamento artístico para companhias, durante os processos de criação e de pesquisa. Eles consideram a coreografia como um modo de veicular a emoção, como uma forma carregada de significação concreta. Baseada no uso do corpo inteiro como instrumento polivalente, esta pesquisa coreográfica é inspirada da fusão das formas de expressão de diferentes disciplinas. A teatralização do movimento, o tragicômico e a emoção são elementos intimamente ligados ao desenvolvimento de seu discurso dançado.

 

Serviço

Espetáculo Au-Delà Du Temps

Abertura do 18º Festival Internacional de Dança de Araraquara

Dia: 15/09, sábado

Hora: 20 horas

Local: Teatro

Classificação: 12 anos

Grátis - Retirada de convites com 1 hora de antecedência (Limitado a 2 ingressos por pessoa)

Para mais informações acesse: Facebook / Blog da Cia. / Fb Denise Namura / Vídeo

 

Revista Cidade

Publicidade

Brasil