Cineasta araraquarense é selecionado para projeto do Núcleo Experimental de Cinema do MIS - São Paulo

07.03.2018
Cineasta araraquarense é selecionado para projeto do Núcleo Experimental de Cinema do MIS - São Paulo

Paulo Delfini, cineasta e diretor de fotografia cinematográfica de Araraquara, foi selecionado para a 3ª edição do Núcleo Experimental de Cinema do Museu da Imagem e Som de São Paulo.

O projeto consiste em realizar um curta-metragem de suspense visando o trabalho em equipe e também o método DIY (Do it Yourself) ou “faça você mesmo”, que tem como objetivo realizar o curta com o respaldo do MIS e do Governo do Estado, além de diversos apoiadores e patrocinadores (Ap 43, LAFI - Latin América Film Institute, SPCINE, Prefeitura de São Paulo).

O processo “faça você mesmo” consiste em realizar em grupo todos os procedimentos para a realização do filme, desde a escrita do roteiro até a exibição final do projeto que acontecerá entre junho e julho, no MIS em São Paulo. “Por isto o nome ‘experimental’ se encaixa bem, será uma excelente experiência para todos os participantes”, aposta Paulo.

De acordo com o cineasta, o trabalho em equipe fica dividido entre dois integrantes para cada função, o que é muito bom, pois a troca de conhecimento resulta em grande aprendizagem. Participam: dois roteiristas, dois diretores, dois diretores de fotografia, dois editores, dois colorizadores, dois finalizadores, dois diretores de arte, dois figurinistas e assim por diante.

O processo será realizado no período de março a julho. São 17 participantes selecionados, que irão trabalhar em conjunto para a realização do curta. Além do curta, também acontecerão workshops com diversos profissionais do cinema, que englobam toda a cadeia de produção e exibição. O programa apresenta nomes como: Beto Brant, Tadeu Jungle, Walter Carvalho, Daniel Furlan, Guilherme Chiappetta, Nara Sakarê e Ricardo Grynszpan.

“Será mais uma grande experiência poder trocar conhecimento com todos os participantes e aprender mais. Além da incrível experiência de ter contato com estes grandes nomes do cinema brasileiro, será um projeto intenso, como todo projeto de cinema é! Quem senta pra ver um filme não sabe o tanto de trabalho que se tem nos períodos de pré-produção, produção e pós produção”, revela.

Paulo lembra que o processo de seleção teve inscrições abertas em novembro de 2017 e passou por duas etapas. Primeiro foi realizada uma seleção por currículo, sendo pré-selecionados 151 participantes. Depois houve uma entrevista coletiva com os departamentos de ofícios escolhidos pelos participantes e o resultado foi apresentado no início desta semana, no dia 05.

“A ideia coincide muito com um projeto que venho amadurecendo há tempos para uma escola de realização audiovisual, nos moldes de residência artística. Espero poder aprender mais e fazer junto com a equipe um ótimo trabalho de realização. Aguardo ansioso pelas próximas etapas”, finaliza o cineasta.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil