Bienal Internacional da Gravura: exposição segue até dia 30 de janeiro

07.01.2019
Bienal Internacional da Gravura: exposição segue até dia 30 de janeiro

Obras do patrono Lívio Abramo, da homenageada Maria Bonomi e de 74 artistas convidados estão na programação, além das atividades educativas 

A 5ª Bienal Internacional da Gravura Lívio Abramo segue até o dia 30 de janeiro em exposição na Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa, aberta a todos interessados. A edição de 2018 reúne obras de 74 artistas convidados, oriundos de 12 países: Brasil, Paraguai, México, Rússia, Argentina, Itália, Índia, Espanha, Venezuela, Cuba, Japão e França.

Ainda, o público poderá apreciar obras de Lívio Abramo, pertencentes ao acervo da Pinacoteca Mario Ybarra de Almeida, além de uma obra da artista homenageada Maria Bonomi.

Vale destacar que Maria Bonomi trabalha como gravadora, escultora, pintora, muralista, curadora, figurinista, cenógrafa e professora. Com um currículo impecável, a artista iniciou-se na gravura com o araraquarense Lívio Abramo, em 1954, sendo muito próxima do artista da Morada do Sol. Lívio, um trotskista e militante sindical que tornou-se membro da Oposição de Esquerda Internacional no Brasil, foi exilado, passando no período, o seu ateliê aos cuidados da amiga Maria Bonomi. Depois, em 1960, em São Paulo, Maria Bonomi fundou o Estúdio Gravura, com Lívio Abramo, de quem foi assistente até 1964. Não se pode falar da história da Gravura no Brasil, sem abordar Maria Bonomi e Lívio Abramo.

Desde o início de sua carreira, na década de 1950, Maria Bonomi ocupa espaços urbanos, investindo em aproximar-se do público, sempre ultrapassando os limites do academicismo e contextualizando sua criação como expressão social. Maria Bonomi coroa esta edição da Bienal. Grande nome da gravura brasileira, com reconhecimento internacional, é a homenageada nesta edição. Discípula de Lívio Abramo, Maria Bonomi ultrapassou fronteiras e construiu uma trajetória tão eclética quanto admirável.

A Bienal da Gravura tem curadoria da arte-educadora Rita Michellutti, funcionária da Pinacoteca Municipal Mário Ybarra de Almeida. A programação segue até o dia 30 de janeiro e, além da exposição, apresenta atividades educativas bastante diversificadas, a fim de motivar artistas e interessados em arte em geral.

Uma das atividades é uma oficina que propõe uma vivência para a elaboração de cartazes por meio de serigrafia. É "A cidade em cartaz", com orientação de Augusto Sampaio, artista plástico e educador que realizou interferências urbanas e projetos colaborativos em cidades no Brasil e no exterior (Bélgica, Holanda, Polônia e Inglaterra). Entre seus projetos educativos destaca-se a Ação Educativa Extramuros da Pinacoteca.

"A cidade em cartaz" será realizada na Casa da Cultura Luís Antonio Martinez Corrêa, nos dias 12 de janeiro e 19 de janeiro, das 9h30 às 12h30. As inscrições já podem ser realizadas na Casa da Cultura, para maiores de 16 anos. São 15 vagas em cada uma das turmas.

E tem xilogravura com a Oficina "Xilomóvel" - nesta oficina os participantes recebem informações breves sobre a técnica e a origem da xilogravura. Partindo de seus próprios desenhos, os participantes gravam uma matriz de MDF e fazem a impressão de cópias em papéis de diferentes gramaturas. Vale lembrar que o Xilo móvel é um atelier itinerante, equipado com todo material necessário para a prática da xilogravura.

O Xilomóvel contará com a participação dos artistas Luciana Bertarelli, Marcio Elias e Simone Peixoto. A atividade acontece na Praça Scalamandré Sobrinho, no dia 27 de janeiro, às 14 horas. As inscrições poderão ser feitas no local. São 25 vagas para maiores de 12 anos.

Toda a programação é gratuita. A Casa da Cultura está localizada à Rua São Bento, 909, no Centro de Araraquara. Mais informações pelo fone: (16) 3333-1159.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil