Encontro Kpop e Jpop reúne grupos de Araraquara e Ribeirão Preto

02.03.2017
 Encontro Kpop e Jpop reúne grupos de Araraquara e Ribeirão Preto

Sábado (4), às 14 horas, o Espaço de Tecnologias e Artes do Sesc Araraquara recebe o grupo de Kpop do projeto Juventudes do Sesc Ribeirão, para apresentação de coreografias, além de um intercâmbio de experiências e entre os fãs do gênero. 

K-pop (abreviação de korean pop - música pop coreana), é um gênero musical originário da Coreia do Sul que se caracteriza por uma grande variedade de elementos audiovisuais. Embora compreenda todos os gêneros de "música popular" local, o termo é mais frequentemente usado em um sentido mais moderno, com pegadas de música eletrônica, dance-pop, pop ballad, electronic, rock, metal, hip hop e R&B.

Em 1992, O K-pop moderno começou com a formação de Seo Taiji & Boys, cujo sucesso de experimentação de diferentes estilos musicais acendeu uma mudança de paradigma na indústria da música da Coréia do Sul. Como resultado, a integração de elementos musicais estrangeiros tornou-se uma prática comum na indústria do K-pop.

Como a cultura pop coreana tornou-se um fenômeno cada vez mais globalizado e globalmente popular em muitas partes do mundo permitiu que a Coreia do Sul utilizasse a seu setor pop cultural para o acesso e entrada em mercados estrangeiros de entretenimento. Com as redes sociais e a plataforma de compartilhamento de vídeo YouTube, a capacidade da indústria do K-pop para garantir um público no exterior tem proporcionado um aumento notável na proliferação global do gênero. 

J-pop refere-se à música popular japonesa. No Japão, esse termo é usado para um tipo de música voltado principalmente para o público jovem. Anteriormente era chamado apenas de Pop, o termo J-pop foi cunhado no fim dos anos 90 com a popularização da internet. Uma de suas peculiaridades está nos instrumentos musicais utilizados, pois utiliza instrumentos modernos, como bateria e guitarra, diferentemente do estilo Enka, em que são usados instrumentos tradicionais japoneses (ou mesmo ocidentais). Difere-se também do Enka no que diz respeito à linguagem, muito menos formal que este.

Fonte: Wikipedia.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil