Vacina contra Covid-19 que deve ser cedida ao SUS, mostra eficiência e começa a ser testada no Brasil

20.07.2020
Vacina contra Covid-19 que deve ser cedida ao SUS, mostra eficiência e começa a ser testada no Brasil

A empresa chinesa de tecnologia Sinovac Biotech anunciou que a vacina para covid-19 se mostrou eficiente e segura em testes de laboratório: mais de 90% dos voluntários que participaram das duas primeiras fases do imunizante desenvolveram anticorpos e nenhum deles apresentou efeitos colaterais graves. Participaram do experimento um total de 743 voluntários saudáveis com idades entre 18 e 59 anos.

A terceira e última fase de testes, considerada fundamental para comprovar a eficácia da vacina, começa a ser realizada no Estado de São Paulo em uma parceria da empresa chinesa com o Instituto Butantan. Os testes já estão liberados a partir de hoje, mas começarão a ser realizados nesta terça-feira (21).

O imunizante será testado em cerca de 9 mil voluntários em seis Estados: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná.

Segundo o Instituto Butantã, caso os testes comprovem a eficácia do imunizante, 60 milhões de doses iniciais estarão disponíveis para o Brasil até o final deste ano e serão distribuídas gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde) até junho de 2021.

Trata-se da segunda vacina contra a covid-19 que está sendo testada no país. A primeira é a chamada "vacina de Oxford", desenvolvida pela Universidade de Oxford com a empresa AstraZeneca. Cerca de 2 mil voluntários em São Paulo e mil Rio de Janeiro receberam a dose a partir de 20 de junho. A ação é coordenada no Brasil pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

Revista Cidade

Publicidade