Região registra saldo negativo de empregos industriais em setembro

18.10.2019
Região registra saldo negativo de empregos industriais em setembro

Mesmo com o resultado, setor mantém saldo positivo de empregos no ano e números estáveis

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - Regional Araraquara (Ciesp) divulgou, nesta quarta-feira, 16 de outubro, o nível de emprego industrial nos 17 municípios que integram a área de cobertura da entidade. Referente ao mês de setembro, o levantamento apresentou variação negativa de -0,57%, uma queda de aproximadamente 250 postos de trabalho. Apesar da regressão, os números se mantiveram estáveis e o acumulado de 2019 é positivo em 1,55%.

Na região, os principais setores que influenciaram na variação foram o de máquinas e equipamentos (-11,67%), produtos de metal (-1,01%), produtos de borracha e de material plástico (-0,84%) e produtos têxteis (-0,59%). Já entre os segmentos que se destacaram na criação de vagas, estão o de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (1,12), produtos de minerais não-metálicos (1,03) e outros/equipamentos de transporte (2,60).

"Este ano está sendo de transição, porém, as expectativas iniciais não estão se confirmando. As indústrias dos municipios que integram nossa região enfrentam dificuldades e, mesmo com boas perspectivas aparecendo, a economia ainda não decolou, o que gera um crescimento tímido", explica Ademir Ramos, diretor do Ciesp - Regional Araraquara.

Já a variação no Estado de São Paulo foi de -0,06%, sendo que os números do interior do estado equivalem a -0,01%. Entre as 36 diretorias regionais do Ciesp analisadas, 11 delas registraram dados positivos, com destaque para Araçatuba (4,84%), Limeira (1,25%), São Carlos (0,54%), Marília (0,50%) e Cotia (0,48%).

"Apesar da variação negativa no período, o resultado foi levemente melhor do que o esperado para o mês, em razão das exportações de carnes para a China, que sofreu com a peste suína. O mercado estadual também apresentou perdas no setor automotivo, com dificuldades em exportar, principalmente para a Argentina. Devemos, então, encerrar o ano com saldo muito próximo ao de 2018, com crescimento zero", diz José Ricardo Roriz, 2º vice-presidente do Ciesp.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil