Primeiro semestre registra alta de 31% no número de devedores

15.08.2018
Primeiro semestre registra alta de 31% no número de devedores

Alta foi impulsionada pelo cenário empregatício da cidade que continua instável

O número de novas dívidas aumentou 34,7% entre janeiro a julho deste ano em comparação a igual período de 2017. O número de devedores também apresentou alta de 31%. Os números aparecerem em levantamento realizado com base no cadastro de inadimplência dos associados do Sincomercio e referem-se ao comércio varejista. De acordo com avaliação da economista Delis Magalhães, o principal motivo desse aumento é o cenário empregatício da cidade que ainda continua instável.

A pesquisa revela ainda que a maior parte das dívidas contraídas no comércio tem até um ou dois anos, representando 85% e 95% do total de débitos respectivamente. "O resultado demonstra que grande parte dos consumidores consegue quitar as dívidas em um prazo rápido e recuperar sua capacidade de pagamento" diz a economista.

Observando o valor dos registros, 76% desses estão na faixa de até R$ 500 e apenas 3% dos débitos excedem o valor de R$ 2 mil, o que pode significar que os consumidores estão mais conscientes sobre seus gastos e tem postergado a compra de itens de maior valor agregado para evitar futuros problemas. Os dados segmentados por idade também revelam uma preocupação maior das classes mais jovens com o orçamento. A maior parte das ocorrências está concentrada na faixa acima de 30 anos.

inadimplência 2

Revista Cidade

Publicidade

Brasil