Guarda Municipal apreende suspeito de aliciar menores para o trabalho infantil

25.05.2018
Guarda Municipal apreende suspeito de aliciar menores para o trabalho infantil

A Guarda Civil Municipal apreendeu em flagrante, na tarde desta quinta-feira (24), um homem suspeito de aliciar menores de idade para o trabalho infantil em diversos pontos de Araraquara. Ele foi conduzido à DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), que cuida dos casos envolvendo menores.

Segundo o coronel João Alberto Nogueira Júnior, secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, o suspeito estava sendo monitorado pela Guarda Municipal a pedido do prefeito Edinho Silva, que está coordenando pessoalmente as ações de combate do trabalho infantil na cidade.

A ação foi deflagrada depois que a Guarda Municipal monitorou por semanas o suspeito. Foram captadas muitas imagens pelo sistema de câmeras do município que vão subsidiar o inquérito.

Os menores eram colocados para vender balas e guardanapos em locais como a Avenida Bento de Abreu e a Avenida Padre Francisco Salles Colturato, rua Nove de Julho e Via Expressa, além de outros locais como o Terminal de Integração.

“Esse monitoramento culminou com a operação para apreendê-lo hoje. Uma mulher que o ajudava também foi para a delegacia. O veículo dele, como estava irregular, também foi apreendido”, explica João Alberto. “O poder público está agindo para impedir casos assim. É importante que as pessoas se conscientizem de que o trabalho infantil é crime”, complementa o secretário.

Edinho esteve pessoalmente visitando famílias de crianças aliciadas. 

Há mais de dois meses que o prefeito tem dialogado com as autoridades policiais e com os integrantes do Conselho de Direitos da Criança e Adolescente para que junto com a Secretaria da Inclusão e Desenvolvimento Social organizem ações para enfrentar a situação de aliciamento de crianças e adolescentes na cidade.

 

Campanha

A ação da Guarda Municipal antecede uma campanha desenvolvida pela Prefeitura, por meio das secretarias de Comunicação, de Assistência, Desenvolvimento Social e de Saúde, e que será lançada no próximo dia 12 de junho, o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil.

A campanha “Trabalho infantil: não dê as costas para esse crime” tem objetivo de conscientizar a população sobre os perigos dessa prática e faz o alerta sobre a presença do aliciador na vida dessas crianças. O PETI (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) já acolheu diversas crianças e adolescentes entre 4 e 16 anos da venda de doces e guardanapos e outras atividades.

“A primeira reação é ajudar, mas saiba que, ao comprar esses produtos ou dar um simples ‘trocado’, você colabora para enriquecer aliciadores que vivem do trabalho de menores e ainda os aproxima das drogas”, informa a campanha.

A sociedade é orientada a denunciar esse crime por meio do Disque 100. É considerado trabalho infantil qualquer atividade econômica e/ou de sobrevivência realizada por crianças ou adolescentes em idade inferior a 16 anos — exceto na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos —, sejam ou não remuneradas.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil