Crise no PSL aumenta. Em Araraquara, sala do Mercadão não será mais sede do partido

04.11.2019
Crise no PSL aumenta. Em Araraquara, sala do Mercadão não será mais sede do partido

Está feio de ver

A briga interna do PSL segue a cada dia maior, e com capítulos, pode-se dizer, feios de ver. Muito do que se assistiu na última semana só acirrou ainda mais os ânimos dos envolvidos e aumentou o desalento de quem esperava mais do partido e dos seus protagonistas. Os brasileiros que elegeram Bolsonaro apostaram na mudança e em um verdadeiro choque na política nacional, com gente e ideias novas. O que está se vendo, porém, é mais do mesmo, além de uma tremenda briga motivada pelo controle do malfadado fundo partidário.

 

Desmonte

No caso de São Paulo, a coluna Painel apurou que logo ao assumir o comando da agremiação no estado - em julho passado -, e destituir grande parte das Executivas do PSL em cidades do interior, o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, teve como intenção principal desmobilizar o esquema político do antigo presente estadual, Major Olímpio. De acordo com a fonte, Olímpio teria nomeado para dirigir os destinos do partido nas cidades paulistas gente ligada a ele e ao seu mandato, ou a pessoas de seu relacionamento político. O senador reagiu e o pau comeu...

 

Pode demorar, mas deve acontecer

Outra fonte consultada pela coluna afirmou que as mudanças previstas para acontecer no comando do PSL no estado passaram um pouco do prazo, mas já estão certas e vão acontecer, sim. Segundo o dirigente, o presidente nacional do partido, o deputado Luciano Bivar recuou um pouco na última semana e não deflagrou as mudanças esperadas, o que, aliás, teria irritado um pouco alguns aliados, ávidos por tornar oficial a destituição de Eduardo Bolsonaro e seu grupo de confiança do comando da agremiação. Como a coluna já antecipou há tempos, o filho do presidente foi destituído por Bivar há 15 dias. Só falta o anúncio oficial e a destituição das Executivas municipais.

 

Mercadão já era

Em Araraquara, a oficialização de mudanças no comando da agremiação já é esperada e gerou algumas atitudes por parte do atual presidente do PSL local, Rodrigo Ribeiro. Segundo apurado pela coluna, o jovem, que há cerca de 40 dias havia alugado uma sala no Mercado Municipal para ser a sede do partido na cidade - ela chegou a ser pintada para receber seus membros -, decidiu devolver o lugar para seu proprietário e abandonar o projeto. A devolução teria ocorrido na última quinta-feira, dia 31. 

 

Grupo segue alinhado aos Bolsonaro

Procurado pela coluna, Rodrigo Ribeiro não se aprofundou no assunto "Crise no PSL", mas afirmou que os filiados do partido em Araraquara estão fechados com o projeto do presidente Eduardo Bolsonaro, e que seguirão com ele aconteça o que acontecer. Segundo Ribeiro, é grande a movimentação dos membros do PSL local em migrarem para o Movimento Conservador, braço da direita organizada ligado ao grupo de apoio a Eduardo Bolsonaro. Ou seja: confirmada a saída do jovem do comando do partido em Araraquara, seu grupo sai junto.

 

Aguardando o momento

A coluna buscou contato também com Marcos Custódio, ex, e provável futuro presidente do PSL de Araraquara para conversar sobre o assunto. Custódio afirmou que prefere aguardar os próximos dias para falar oficialmente, mas confirmou os rumores de que o deputado federal Júnior Bozella deve ser confirmado nas próximas horas no comando do PSL paulista no lugar de Eduardo Bolsonaro. "É o que se sabe nos bastidores e o que estamos esperando", disse. Assessor de Bozella, Custódio deve assumir o PSL local.

 

Obs - Na foto de capa, deputado Júnior Bozella, provável novo presidente estadual da legenda

Revista Cidade

Publicidade

Brasil