Com governo fragilizado, momento é de muita gravidade

29.05.2018
Com governo fragilizado, momento é de muita gravidade

O governo federal é fraco, não tem legitimidade e seus interlocutores não são vistos como confiáveis, nem pelos grevistas, nem pela população. E agora, parece, nem mesmo pela classe política.

Diante da quase completa paralisação do País, e do iminente caos, Temer e seu auxiliares insistem em se encastelar nos gabinetes e a emitir notas e declarações alheias a realidade.

Visivelmente perdidos, e desesperados na busca por uma solução, mostram-se dispostos a agir na ilegalidade, pregando a prisão de empresários e grevistas e defendendo o uso da força para colocar fim ao movimento dos caminhoneiros.

Do outro lado do balcão, a população brasileira, apesar de sofrer na pele as consequências do desabastecimento, mostra-se cada vez mais simpática aos grevistas e não esconde sua revolta contra o governo. Pede-se, por todos os lados, o fim da administração Temer.

Grave, a realidade bateu forte em Brasília, e já se fala abertamente pelos bastidores que o governo pode não ir muito longe. Até mesmo deputados e senadores da base de apoio de Temer já discutem o assunto.

Como um carro desgovernado em alta velocidade o País segue caminhando célere para o abismo, e a cada minuto que se passa, parece maior a certeza de que não se conseguirá evitar o pior. O governo já não governa. Perdeu a pouca credibilidade que ainda tinha e está completamente isolado.

O momento é de espera.

Temer e seu governo esperam de safar, a população espera se livrar deles e a classe política, ao lado de juristas e outras autoridades, esperam encontrar nos bastidores uma saída que acalme o povo brasileiro.

O governo Temer está muito, mas muito fragilizado e não há sinais de que possa se recuperar.

Pode até não cair, mas será ainda mais fraco e agonizará lentamente e sem força alguma para governar.

H.M

Revista Cidade

Publicidade

Brasil