CAGED aponta que Brasil perdeu 661 vagas com carteira em junho. Trimestre encerrado em maio aponta 13,2 milhões de desempregados no País

21.07.2018
CAGED aponta que Brasil perdeu 661 vagas com carteira em junho. Trimestre encerrado em maio aponta 13,2 milhões de desempregados no País

O Brasil voltou a perder vagas com carteira assinada em junho, após cinco meses seguidos de resultados positivos. No mês passado, o número de demissões (1.168.192) superou o de contratações (1.167.531 contratações), com um saldo 661 postos de trabalho fechados.

Ainda assim, o resultado foi positivo no acumulado do primeiro semestre: mais 392.461 empregos com carteira assinada.

Dos oito setores avaliados pela pesquisa, só três abriram mais vagas do que fecharam: agropecuária, serviços industriais de utilidade pública e serviços. O comércio e a indústria puxaram o resultado negativo.

 

Agropecuária: +40.917

Serviços Industriais de Utilidade Pública: +1.151

Serviços: +589

Extrativa Mineral: -88

Administração Pública: -855

Construção Civil: -934

Indústria: -20.470

Comércio: -20.971

 

Trabalho intermitente

Segundo o ministério, a reforma trabalhista, em vigor desde 11 de novembro de 2017, "já pode ser mensurada pelas estatísticas do mercado de trabalho".

Pela modalidade de trabalho intermitente, que é a possibilidade de trabalhar sem horário fixo e ganhando apenas pelas horas trabalhadas, foram registradas 4.068 contratações e 1.380 demissões em junho.

As contratações desse tipo se concentraram no setor de serviços (1.348), no comércio (483) e na indústria (366).

 

Salários

O salário médio de admissão em junho foi de R$ 1.534,69, enquanto a média na demissão foi de R$ 1.688,25. Quando descontada a inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), houve queda de R$ 12,26 (-0,79%) no salário de admissão e de R$ 18,25 (-1,07%) no salário de desligamento, em comparação com o mês anterior.

 

Outros números

Os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho consideram apenas os empregos com carteira assinada.  Existem outros números sobre desemprego apresentados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), que são mais amplos, pois levam em conta todos os trabalhadores, com e sem carteira.

A última Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) registrou que o Brasil tinha, em média, 13,2 milhões de desempregados no trimestre encerrado em maio.

(Fonte: Notícias Folha)

 

Revista Cidade

Publicidade

Brasil