Balança comercial de Araraquara apresenta crescimento de 253% no mês de maio se comparado ao mesmo período do ano passado

15.06.2018
Balança comercial de Araraquara apresenta crescimento de 253% no mês de maio se comparado ao mesmo período do ano passado

Do outro lado dos números, as importações de Araraquara têm se mantido em patamares baixos, acumulando a segunda queda consecutiva no ano.

De acordo os dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Araraquara apresentou crescimento de 253% no saldo da balança no mês de maio, se comparado ao mesmo período do último ano. 

O resultado é o melhor do ano e representa um superávit total de U$104,98 milhões. O crescimento de 150% nas exportações foi o principal responsável pelo saldo positivo, além de umaqueda de 73,4% nas importações. 

No acumulado do ano, considerando os meses de janeiro a maio, o avanço do saldo da balança comercial totaliza um superávit de US$467,22 milhões que mantém Araraquara entre os dez municípios que mais exportam no Estado de São Paulo.

 

Saldo da Balança Comercial Araraquarense - 2017/2018:

Falando sobre os números, a economista Délis Magalhães, ressaltou, porém, que as importações de Araraquara têm se mantido em patamares mais baixos, acumulando a segunda queda consecutiva no ano. "A notícia parece inicialmente boa, uma vez que o superávit final acaba aumentando. Mas é importante notar que as importações representam o investimento produtivo dos empresários, sendo que uma queda brusca pode ser resultado de uma diminuição da confiança das empresas na região", ressalta.

Outro motivo para a queda na demanda por importados pode ter relação com o início da produção interna de algum item que antes era inexistente, o que representa uma alternativa benéfica já que diminui os custos de logística e fomenta a geração interna de empregos. Dessa forma, as importações em volume controlado não devem ser vistas como algo ruim, principalmente se elas não forem baseadas em bens de consumo final. A pauta importadora do município é exemplo disso.

Os bens intermediários e os bens de capital possuem a maior participação nas importações, representando 83% do total. Grande parte desses produtos são insumos industriais e equipamentos, utilizados como parte componente dos processos produtivos que contribuem para agregar mais tecnologia aos produtos locais.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil