PS do Melhado terá 20 leitos hospitalares, além de estrutura de apoio e diagnóstico

19.12.2018
PS do Melhado terá 20 leitos hospitalares, além de estrutura de apoio e diagnóstico

Unidade contará com exames laboratoriais, ultrassom, tomografia, raio-x, endoscopia, colonoscopia e diagnóstico rápido de casos de AVC (Acidente Vascular Cerebral), que exige tomografia dentro dos primeiros 45 minutos a 1 hora, e de infarto agudo do miocárdio

As obras de reabertura do Pronto-Socorro do Melhado estão se tornando realidade. Na manhã desta terça (18), o prefeito Edinho assinou a ordem de serviço para a reforma da unidade, atendendo prioridade eleita pela população na Plenária da Cidade do Orçamento Participativo em 2017. A previsão é de que as obras no imóvel terminem em nove meses e, depois, os equipamentos sejam instalados.

Os principais objetivos na reabertura da unidade de saúde são osuporte às UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), a diminuição do número de internações na Santa Casa e, com isso, a otimização de recursos para utilizar com outros procedimentos no hospital, como cirurgias eletivas.Segundo a Secretaria de Saúde, a Prefeitura investe R$ 2,5 milhões mensais com internações na Santa Casa, que atende Araraquara e mais 17 cidades da região.

O Ministério da Saúde liberou R$ 8 milhões para a reabertura da unidade do Melhado: R$ 4 milhões para reformas, adequações e construção dos leitos-dia, além de outros R$ 4 milhões para a compra de equipamentos para o retorno do centro de diagnóstico, com exames de imagens e laboratório.

"É uma unidade de retaguarda. Hoje, um paciente chega à UPA, é atendido e, às vezes, precisa fazer o diagnóstico para ver porque está passando mal. Ele fica na UPA aguardando um leito da Santa Casa, porque a Santa Casa tem os equipamentos para diagnóstico. Uma tomografia, um exame de imagem sofisticado, que a UPA não tem", explicou o prefeito Edinho.

"Aqui no Melhado, nós teremos todos os equipamentos de imagem, um laboratório. Quando o paciente vir para cá, ele já terá o diagnóstico. Se for um caso de cirurgia mais grave, ele irá para a Santa Casa. Só irão para o hospital os casos que necessitam de internação. Com uma pneumonia, uma cólica renal, o paciente não precisará ir para a Santa Casa. Isso irá desafogar o hospital e o paciente não ficará esperando dentro da UPA", complementou Edinho.

Para o prefeito, a reabertura da unidade do Melhado também é uma vitória da população. "Se o Orçamento Participativo decide, é lei. A saúde pública de Araraquara precisa muito dessa unidade. E o povo de Araraquara escolheu. Quem escolherá as obras do governo será a população", disse.

A secretária da Saúde, Eliana Honain, destacou o papel da participação da comunidade. "Nós temos que ouvir a população. Quem decide o caminho a ser seguido é a população. Essa unidade é de extrema importância. Muito obrigado ao Edinho e a todos que trabalham na defesa do SUS e da qualidade da Saúde que queremos para a nossa população", declarou.

A secretária de Planejamento e Participação Popular, Maria José Scárdua, também ressaltou a importância do OP. "A obra de reabertura da unidade foi escolhida pela cidade e irá trazer benefícios para todos os moradores. Cuidar um do outro é muito importante", disse.

A unidade será adequada para ser uma retaguarda ao sistema de saúde já existente na cidade, disponibilizando 20 leitos hospitalares. Também haverá uma estrutura de apoio e diagnóstico, com exames laboratoriais, ultrassom, tomografia, raio-x, endoscopia e colonoscopia.

Outro avanço será em relação ao diagnóstico rápido de casos de AVC (Acidente Vascular Cerebral), que exige tomografia dentro dos primeiros 45 minutos a 1 hora, e de infarto agudo do miocárdio.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil