Presidente de Portugal ressalta o trabalho do araraquarense Jota Aracê

21.09.2016
Presidente de Portugal ressalta o trabalho do araraquarense Jota Aracê

Os grafites do araraquarense Jota Aracê são vistos diariamente em Araraquara e em diversas cidades do país. O que muitos não imaginam é que sua arte de rua está além mar e é destaque em Portugal. E foi em maio deste ano, durante o Festival  Muro, em Lisboa, que o grafiteiro teve uma visita inusitada enquanto trabalhava em um painel num muro de um bairro social: o presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Jota Aracê esteve em Portugal para a exposição e residência artística integrada ao projeto  Coletivo Brasil, na cidade portuguesa de Torres Vedras. Lá, integrou-se a um importante festival de grafite em Lisboa, realizado pela GAU (Galeria de Arte Urbana) – departamento da Câmara de Lisboa: o Festival Muro.

De acordo com Lauro Monteiro, organizador e curador do Coletivo Brasil, o portfólio de Jota Aracê foi aprovado de imediato pelos organizadores do Muro. “Até porque seu trabalho – como ‘cartão de apresentação’ - está visível num grande painel no estacionamento no centro histórico de Torres Vedras, distante apenas a 50 km da capital portuguesa”, explica. 

O Festival Muro é um importante evento de arte urbana em Portugal, sendo alvo de visitas de artistas, galeristas, pessoas interessadas como grupos de turistas que fazem visita guiada ao evento – o que é comum acontecer nesse tipo de festival. “O apreço pela arte de rua é totalmente diferente do que temos aqui, o reconhecimento e a valorização também” acrescenta Aracê.

E foi num desses grupos de visita guiada que Aracê percebeu que tinha alguém muito importante, já que um senhor vinha rodeado por uma multidão, além de repórteres, fotógrafos e pessoas filmando. “De imediato, reconheci a coordenadora da Galeria de Arte Urbana que acompanhava o senhor. Pararam frente ao mural e então começamos a conversar. Ele muito simpático perguntou-me de onde eu era, qual tribo eu estava retratando naquele muro, por que retratar índios - entre outras perguntas. Ao final da conversa ele me disse que gostaria de largar a economia e se dedicar à arte de rua, que era muito mais interessante e criativo”, conta o grafiteiro.

“Ele me perguntou o que deveria fazer para conseguir fazer trabalhos nas ruas. Eu disse que bastava a vontade e a criatividade e que esses eram os pré-requisitos básicos para a arte de rua. Ele deu risada, agradeceu o papo e seguiu o caminho”.

Aracê conta que, então, uma senhora se aproximou e disse: “que legal, ele gostou de você”. E o grafiteiro: “ele quem?”, e ela: "o Presidente da República de Portugal".

O encontro e o interesse do presidente português pela arte de rua foi notícia em diversos jornais e sites de Portugal e da Europa, dando ao portifólio de Jota Aracê outra dimensão profissional, já que foi um dos únicos grafiteiros do evento a conversar com Marcelo Rebelo de Sousa. (veja foto acima).

O fato inusitado surpreendeu o grafiteiro. “Pensei: caramba, que massa! O Presidente daqui prestigia os eventos de arte de rua, mas essa ninguém vai acreditar nisso”. Chegando a sua hospedagem, Aracê recebeu uma mensagem com um link. “Era a capa do site de um jornal português com uma foto minha e do presidente conversando! Agora eu tinha como provar que a história era verdadeira”, brinca o artista.

Vale destacar que a obra de Aracê em Lisboa chama-se 'Floresta Digital' e tem 90m², tendo como conceito a fusão de natureza e tecnologia, mostrando que é possível viver em um mundo tecnológico sem o homem se afastar de sua essência.

TExto: Tadeu Queiroz

Revista Cidade

Publicidade

Brasil