Preparação para Operação Estiagem 2018 movimenta Defesa Civil e Corpo de Bombeiros

02.04.2018
Preparação para Operação Estiagem 2018 movimenta Defesa Civil e Corpo de Bombeiros

Integrantes da Defesa Civil Municipal, do Daae (Departamento Autônomo de Água e Esgotos) e outros servidores da Prefeitura, em parceria com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, participaram do treinamento “Oficinas Preparatórias para a Operação Estiagem 2018”, realizado em Américo Brasiliense.

Foram abordados temas de interesse regional para elaboração de plano de contingência para o período de estiagem, além de critérios para decretação de situação de anormalidade e solicitação de recursos às esferas estadual e federal.

As instituições convidadas apresentaram informações sobre a “Operação Corta-Fogo”, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, sobre o combate ao Aedes aegypti, fiscalização de queimadas e incêndios florestais e interpretação de dados meteorológicos. Brigadistas do Corpo de Bombeiros ainda ministraram aulas práticas sobre combate a queimadas e incêndios.

?"O evento reuniu representantes de toda a região de Araraquara e foi importante, porque trouxe esse treinamento para o período de estiagem. Todos esses órgãos estão preparados para atuar junto com o Corpo de Bombeiros, principalmente em relação às queimadas", afirma o secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, coronel João Alberto Nogueira Júnior.??

A participação da Defesa Civil Municipal na oficina integra as ações que serão desenvolvidas pela unidade para a Operação Estiagem 2018, que está sendo elaborada em parceria com demais secretarias e órgãos de apoio.

?
Chuvas de verão?

Desde o final do ano passado, a Defesa Civil, secretarias da Prefeitura e instituições ?(Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, entre outr?as) participam do Plano de Contingência Operação Chuvas de Verão 2017-2018, que ?termina neste sábado (31). O projeto tem objetivo de ?prevenir e ?dar socorro, assistência e recuperação, além de eliminar ou minimizar danos físicos ou materiais e consequências desastrosas no período de chuvas intensas.

?Segundo o coronel João Alberto, o plano precisou ser acionado seis vezes durante o verão, com mobilização imediata de todos os órgãos (sobretudo em dias de chuvas acima da média). "Por exemplo, fechamos a Via Expressa quando necessário, nas regiões do Terminal de Integração e do Terminal Rodoviário. Não tivemos maiores problemas, como pessoas feridas ou ilhadas. Foi uma experiência muito válida e que integrou as forças de segurança", diz o secretário.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil