Mais da metade dos trabalhadores com ensino superior completo em Araraquara são mulheres

03.03.2018
Mais da metade dos trabalhadores com ensino superior completo em Araraquara são mulheres

Setor de serviços e comércios são os que mais empregam mão de obra feminina na cidade

O mês de Março é marcado pelo dia da Mulher, uma data para lembrar a luta feminina por melhores condições de vida, bem como em importantes avanços na igualdade de direitos entre homens e mulheres. Atualmente em Araraquara, dos 73.096 trabalhadores com carteira assinada 50,4% são homens e 49,6% são mulheres. A divisão quase que igualitária de mão de obra demonstra uma participação cada vez maior da mulher nas empresas.

Segundo o economista Délis Magalhães, as mulheres reconhecem a importância da qualificação para atender às exigências do mercado de trabalho. “Atualmenteelas representam 55% dos trabalhadores com ensino superior completo no município”.

Na economia local, o setor de serviços é o que mais absorve mão de obra feminina, sendo responsável por 62,2% dos postos ativos. O setor comercial também possui uma presença grande das mulheres, absorvendo 20,2% desse público.

 

Estoque de Trabalhadores Ativos em 2017

No entanto, maior escolaridade e presença nos cursos de qualificação não significam maiores rendimentos. Em 2016 a remuneração média das mulheres no município atingiu R$1.945,91. O resultado é 26,2% menor do que o salário médio dos homens, que atingiu R$2.635,78 no mesmo período. Para os cargos com salários mais atrativos (a partir de 7 salários mínimos), o público feminino ocupou apenas 32% das vagas em 2017.

Mesmo com a desvantagem salarial, o desemprego afetou menos as mulheres do que os homens. Dos 939 postos de trabalho fechados durante o ano, 89% representou a demissão de homens. Quando comparado a 2016, o resultado representa umamelhora significativa, já que 1.611 mulheres perderam o posto com carteira assinada no acumulado do ano, contra um aumento de 197 empregos de trabalho abertos para os homens.

“Apesar dessa diferenciação por gênero ainda existir no mercado de trabalho brasileiro, as mulheres vêm conquistando avanços e espaços e diminuindo, ainda que lentamente, esse cenário. Ainda existem desafios a serem superados, mas os resultados vêm melhorando ano a ano e devem se tornar motivo de orgulho e determinação”, ressalta Délis Magalhães.

 

Revista Cidade

Publicidade

Brasil