Gota de Leite deve ser transformada em Hospital da Mulher, Materno Infantil

15.03.2017
Gota de Leite deve ser transformada em Hospital da Mulher, Materno Infantil

Se uma gestante fosse levada hoje de ambulância para São Paulo e tivesse seu filho no hospital Albert Einstein o custo do parto ficaria mais barato do que custa hoje o nascimento de um bebê no hospital Maternidade Gota de Leite.

A revelação é do prefeito Edinho Silva, que a fez para ilustrar a resposta a uma pergunta formulada por um repórter durante a coletiva realizada nessa terça, 14, no 6º andar do Paço Municipal. O profissional de imprensa perguntou se o prefeito tinha planos para fechar a maternidade.

"Nós temos que separar boatos de fatos", disse Edinho. "E o fato é que  repassamos recentemente R$ 4 milhões ao hospital maternidade, o que demonstra nossa real intenção", disse ele, afirmando que a administração pretende investir em um audacioso plano que leve a Gota a conquistar sua independência financeira.

"A ideia é transformarmos a Gota em um Hospital da Mulher, Materno Infantil, de forma que ela venha a ser autossustentável. A Gota de Leite hoje é referência em maternidade, presta serviços de excelência, mas drena cerca de R$ 2 milhões/mês dos cofres públicos, o que a torna muito cara", explicou.

Edinho ressaltou ainda que a personalidade jurídica da Gota também está equivocada. "A última alteração que fizeram lá a torna um hospital privado, e se a Gota for privada não pode receber repasses públicos e fica invialibizada, lembra.

"Nós vamos investir na maternidade Gota de Leite e vamos conquistar a independência e a saúde financeira dela, mas vai demorar para chegarmos lá", destacou.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil