Funcionários da CTA paralisam transporte coletivo da cidade

02.05.2016
Funcionários da CTA paralisam transporte coletivo da cidade

Eles reclamam da falta de pagamento de vale refeição e da possibilidade real de desemprego

Funcionários da Companhia Trólebus Araraquara (CTA) paralisaram a maior parte das linhas do transporte coletivo ainda operadas pela empresa nesta segunda-feira, 2. A categoria cobra o pagamento do tíquete alimentação do mês de abril que ainda não foi quitado pela companhia. Eles afirmam ainda que estão com medo de serem contratados pelo consórcio ganhando menos ou perderem os empregos de vez.

De acordo com o anunciado as únicas linhas que funcionaram normalmente nesta segunda-feira foram aquelas operadas pelo consórcio que está assumindo o setor na cidade.  As outras 25 linhas, que ainda estão em operação pela CTA, pararam e aproximadamente 11 mil pessoas foram prejudicadas.

Houve bate boca e usuários do transporte coletivo  ameaçaram agredir os funcionários por causa da paralisação.

Representantes da CTA reuniram-se à portas fechadas em uma sala no TCI com uma comissão dos funcionários  e do sindicato para negociar o fim da paralisação. A Prefeitura garantiu que já fez o depósito dos valores devidos aos funcionários na conta da CTA, e que a situação será normalizada nesta terça-feira, 3 de maio.

Consórcio começa a operar o transporte coletivo em Araraquara

Começaram a circular no domingo, 1º, os novos ônibus do Consórcio Araraquara de Transportes (CAT). A troca da frota acontecerá em três etapas, com a chegada de 90 novos veículos, todos 0 km. Segundo informado pelo consórcio não haverá alterações nas linhas ou no valor da passagem, que  continua R$ 3,20.

A primeira etapa começou no domingo, com a entrada de 28 novos ônibus em circulação, a próxima acontecerá no dia 8 de maio, quando entram mais 28 veículos em operação, e os restantes 28 carros vão para às ruas no dia 15 de maio, perfazendo o total de 84 ônibus em circulação, além de seis que ficarão de reserva.

As alterações serão feitas aos poucos para que o consórcio possa avaliar as operações e ter certeza de que tudo esteja correndo bem. Caso surjam problemas as mudanças necessárias serão implementadas.

A expectativa dos novos responsáveis pelo transporte coletivo da cidade é colocar um fim nos problemas que o setor enfrenta. Segundo eles, como os veículos que estão entrando em operação são 0 kms, não deve mais acontecer problemas de quebras nas vias. Além disso, os ônibus contam elevador e câmera. 

Com a entrada em operação do consórcio, ex-funcionários da CTA esperam ser recontratados pelas novas operadoras. "Nós estamos procurando aproveitar alguma mão-de-obra da CTA de acordo com o interesse deles e de acordo com os testes práticos que estamos fazendo dentro dos critérios de seleção tanto da Empresa Cruz quanto da Viação Paraty", disse um porta voz da empresa.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil