Falando sobre vagas hospitalares na cidade, secretária lembra que Araraquara só conta com um hospital SUS

06.02.2019
Falando sobre vagas hospitalares na cidade, secretária lembra que Araraquara só conta com um hospital SUS

Falando na Câmara Municipal sobre dúvidas relacionadas às vagas de internações hospitalares em Araraquara, a secretária municipal de Saúde, Eliana Honain, destacou o fato de que Araraquara conta nos dias atuais com apenas um hospital SUS, a Santa Casa. Anos atrás, a realidade era outra e Araraquara, uma cidade muito menor do que a atual tinha três hospitais públicos: a própria Santa Casa, a Beneficência e o Hospital São Paulo.

 

Só um hospital SUS

Ela iniciou seu pronunciamento afirmando que os leitos hospitalares para internações são um dos grandes problemas da Saúde local. “Temos um único hospital geral, uma maternidade e um hospital psiquiátrico. Dos 156 leitos da Santa Casa, somente 114 são oferecidos ao Sistema Único de Saúde (SUS) e são insuficientes para dar conta da demanda, uma vez que a Santa Casa interna pessoas de 18 municípios, sendo que cinco deles não têm nenhuma estrutura e todos os procedimentos são feitos aqui”.

Eliana afirmou que o SUS tem somente 14 leitos de UTI, porém a necessidade, para dar um atendimento mais eficaz, seria de 25 vagas. “Hoje é complicado conseguir um leito de UTI, pois, esses 14 atendem toda a região”, garantiu.

As vagas são liberadas por um sistema denominado de ‘Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde’ (Cross), que une as ações voltadas para a regulação do acesso na área hospitalar e ambulatorial, propiciando o ajuste da oferta assistencial disponível às necessidades imediatas do cidadão.

 

Em breve, mais leitos

“A Santa Casa vai construir mais 33 leitos e entregar as 25 vagas que necessitamos. Com isso, teremos o problema equacionado”, garantiu a secretária de Saúde, apontando essa como a realidade de momento.

Ela abordou ainda a implantação do Centro Municipal de Estabilização do Melhado, que terá 22 leitos individuais, com a estrutura necessária para atendimento, desafogando assim, o gargalo das vagas na Santa Casa. “Só com esse serviço haverá uma diminuição de 10 a 15% das vagas utilizadas no hospital. “

 

Saúde não é gasto

Questionada sobre os gastos com saúde a secretária informou que são investidos 39% do orçamento próprio da Prefeitura. Sobre os casos graves de dengue, disse que as internações estão garantidas através de leitos de convênio.

Foi aplaudida quando encerrou sua fala. “A gente não pode falar em gasto em saúde. Saúde é investimento. Cada vida que eu amenizo a dor, isso não é gasto. De onde vem o recurso? Nós lutamos pelos recursos, pois saúde é investimento”.

Revista Cidade

Publicidade

Brasil