Coronavírus: comércio de Araraquara não vai fechar. Prefeito garante que Saúde está prepara, mas pede cuidados à população

19.03.2020
Coronavírus: comércio de Araraquara não vai fechar. Prefeito garante que Saúde está prepara, mas pede cuidados à população

Coletiva de imprensa revela que Saúde trabalha com a certeza de que o vírus já circula em Araraquara

Oficialmente não há casos em Araraquara, mas a Rede de Saúde trabalha com a certeza de que o vírus já circula na cidade. A Coletiva informou ainda que São Carlos tem potencial infectado aguardando contraprova de seu exame. O primeiro deu positivo. O problema é que o rapaz passou o último final de semana em Araraquara. Um paciente local também é suspeito de ter a doença, e está internado no Hospital de Américo. 

Uma coletiva de imprensa realizada na tarde dessa quinta-feira, 19, na sala de reuniões do 6º andar do Paço Municipal tratou pública e oficialmente da situação atual do coronavírus bem Araraquara e das consequências que o avanço da doença trará para a vida do araraquarense.

Participaram do encontro os presidentes da Associação Comercial e Industrial de Araraquara (ACIA), do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomércio), do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Araraquara, do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), José Janone Júnior, Toninho Deliza, Ademir Ramos e Fernando Pacchiarotti. Integrantes da Rede de Saúde da cidade e um representante do Shopping Jaraguá também participaram do encontro.

A realização da coletiva foi decidida um dia antes depois de uma reunião de emergência convocada pelo prefeito municipal com os representantes das entidades que dirigem o comércio e a indústria na cidade buscando um entendimento conjunto quanto aos próximos passos que se deve dar na cidade no sentido de conter o avanço do vírus por aqui.

Elucidativa, a entrevista visa tranquilizar à população de Araraquara e evitar o pânico. Um dos principais pontos abordados no evento tratou de explicitar o fato de não haver desabastecimento na cidade, ou mesmo em outras partes do País. O que ocorre, na verdade, é que as pessoas, preocupadas com as notícias plantadas na rede correram aos supermercados e compraram muito mais do que normalmente compram, causando a falta pontual de um ou outro produto.

O outro ponto abordado pelos presentes tratou de tranquilizar a população quanto aos serviços de Saúde no município. O prefeito Edinho Silva garantiu que o planejamento está adiantado, e que existe um plano de contingência e atendimento para conter o vírus.

Sobre o funcionamento do comércio e das indústrias, a decisão é por manter os serviços normais, mas com certos cuidados, com pessoal e eventualmente em horários reduzidos.

A medida visa não paralisar a economia local e manter a cidade funcionando o mais dentro da normalidade quanto seja possível. Os efeitos econômicos, sem dúvida, virão no futuro, mas podem ser minimizados se todos colaborarem e evitarem aglomerações e abusos.

Nos bares e restaurantes a medida será a de separar as mesas em pelo menos 1,5 metro, ou 2 metros umas das outras, além de manter o acesso irrestrito a água, sabonete e ou álcool gel para os frequentadores.

Shows e eventos com concentração de pessoas estão proibidos, e aconselha-se que eventos festivos e ou comemorações sejam adiados em por algum tempo.

Outra medida que se faz necessária neste momento é evitar que pessoas com 60 ou mais, ou pessoas com doenças e ou tratamentos agressivos e que debilitem sua saúde, como quimioterapia, hemodiálise, pessoas diabéticas, dentre outros, evitem de sair de casa.

Todos deixaram claro que os próximos 15 dias serão fundamentais para se saber se o avanço da doença em Araraquara será grande, ou não. O pico dela é previsto para meados do mês de abril, estendendo-se até maio. Se a cidade conseguir chegar ao final de maio com um pico não muito alto, as chances de se chegar a junho (início do inverno) com ela mais ou menos sob controle é muito boa.

Sobre os sintomas, os profissionais da Saúde presentes ao evento afirmaram que não se deve ir às unidades de saúde por qualquer motivo. Quem tiver tosse, coriza e ou outros sintomas de resfriados desse se cuidar em casa, ou se dirigir a unidade de saúde mais próxima de casa. Agora, quem tiver febre alta por dias, e falta de ar, deve ir imediatamente para a UPA, que já está devidamente preparada para receber o doente.

A Prefeitura deve inaugurar em breve uma unidade especifica para atendimento das vítimas do Coronavírus na cidade. 

E isso se explica porque o vírus não sobrevive em ambientes de muito calor, caso de Araraquara e característica de nosso País. 

Os cuidados, portanto, devem ser tomados e levados muito à sério. Não se deve deixar a epidemia, e ou o vírus chegar (em) com força no início do inverno, sob pena de ficarem muito mais tempo entre nós.

Acompanhe outras matérias e vídeos sobre a coletiva e sobre a situação do Coronavírus em Araraquara nesta sexta-feira, 20, aqui mesmo, no Portal Cidade Araraquara.

Revista Cidade

Publicidade