Cesta Básica registra queda de 3,8% em Araraquara

26.03.2018
Cesta Básica registra queda de 3,8% em Araraquara

O recuo é referente ao comparativo entre fevereiro de 2018 e o mesmo mês de 2017

Produtos presentes diariamente na vida dos consumidores de Araraquara estão mais baratos. Baseado em pesquisa semanal que levanta os preços praticados em supermercados do município, estudo realizado em Araraquara les revelam que o valor médio da cesta básica passou de R$ 530,00 em fevereiro de 2017 para R$509,74 em fevereiro deste ano, uma economia real de R$20,26 ao consumidor final.

Alimentos como; alho (-33,3%), açúcar refinado (-24,8%), e o óleo de soja (-23,2%) figuram como as maiores quedas de preços do comparativo. Em contrapartida, os produtos como cebola (76,3%), batata (32,1%) e o creme dental (6,4%) ficaram mais caros no período.

 

Variação Anual da Cesta Básica (Fevereiro/17 e Fevereiro/18):

O grupo de alimentos é o principal destaque pelo barateamento da cesta, seguindo a tendência dos preços agrícolas, observada durante o ano de2017. Em fevereiro, todos os grupos apresentaram reduções. Para a economista Délis Magalhães, o resultado mostra uma situação mais vantajosa ao consumidor, visto que enquanto o preço de alguns produtos, como o gás de cozinha, têm aumentado, outros registraram queda, refletindo em equilíbrionos gastos finais.

Em um comparativo entre fevereiro e janeiro deste ano, a categoria alimentação teve uma queda de 1,9%, os produtos de limpeza domésticaregistraram redução de 0,4%e higiene pessoal, 1,6%. Oresultado total médio da cesta foi 1,7% menor em fevereiro de 2018, se comparado a janeiro do mesmo ano, gerando uma economia de R$9,03 no carrinho de compras do araraquarense.

Segundo Délis, é importante que o consumidor final fique atento, já que os preços podem ficar instáveis ao longo do ano. “Como uma ferramenta de controle da oferta, os produtores estão investindo em safras menores para evitar a baixa excessiva nos preços que foi observada em 2017, quando houve uma safra recorde”, comenta.

A boa notícia é que a manutenção da inflação baixa e aperspectiva de aumento na oferta de empregos geram a expectativa de quea renda do consumidor será mais compatível com os preços do mercado em 2018, incentivando o retorno gradativo ao consumo.

O estudo foi realizado pelo Núcleo de Economia do Sincomércio.

 

Revista Cidade

Publicidade

Brasil