Araraquara vai prorrogar quarentena, mas iniciará abertura gradual da economia

21.04.2020
Araraquara vai prorrogar quarentena, mas iniciará abertura gradual da economia

Retorno parcial das atividades comerciais marca decreto que prorroga estado de calamidade pública na cidade

Uma reunião realizada na tarde dessa segunda-feira, 20, por videoconferência, marcou o começo da flexibilização das regras para o funcionamento de estabelecimentos comerciais em Araraquara ainda durante a vigência da quarentena, que seguindo o estabelecido pelo Governo estadual, foi prorrogada na cidade até o dia 10 de maio. 

O documento prorrogando (e acrescentando outras) todas as medidas do decreto que reconhece o estado de calamidade pública no município de Araraquara, decorrente da pandemia do COVID-19, foi tornado público neste feriado de 21 de abril.

O encontro colocou na mesa, de um lado, o prefeito municipal Edinho Silva, autoridades da Saúde e da administração pública, e de outro, lideranças de diversos setores empresariais de Araraquara, além de representantes de sindicatos e associações. 

Realizado para que a Prefeitura detalhasse todas as medidas tomadas pela administração municipal no sentido de fortalecer a rede de saúde local, evitar o colapso do sistema e viabilizar o enfrentamento da pandemia de Coronavírus, o encontro serviu também para ampliar o diálogo entre as partes e abrir uma nova fase de conversações, agora já visando a volta gradual do funcionamento das casas comerciais na cidade.

Em uma primeira hora, o decreto não autorizou a volta do funcionamento das lojas comerciais, o que ficou para uma segunda etapa, mas já prevê o retorno parcial de alguns setores, como oficinas de motos (importantes para manter operando o setor de entregas), escritórios de alguns segmentos (contabilidade e imobiliárias, por exemplo), dentre outros. 

Definiu-se também pelo retorno das atividades das academias, que funcionariam com severas regras de higiene e de distância entre as pessoas, mas também com as portas fechadas. Lojas de vendas de veículos e óticas também estão no documento.    

Durante a reunião, o prefeito falou aos empresários que a administração está tomando todas as ações para salvar vidas, mas se mantém atenta a fazer o que for possível no sentido de viabilizar medidas para que a economia local possa respirar. 

"Faremos o que for possível, mas, é claro, respeitando o decreto de calamidade pública do Governo do Estado e as orientações das autoridades de saúde e do Comitê de Contingência do Coronavírus, que monitora a curva da evolução de casos diariamente", destacou.

As medidas que começam a ser tomadas em Araraquara seguem no mesmo caminho das anunciadas nessa segunda-feira pelo Governo estadual, que apesar de ter decretado a renovação da quarentena em todo o Estado até o dia 10 de maio, adotará o "isolamento heterogêneo" ou "quarentena heterogênea".

Informações divulgadas pela Folha de S. Paulo nas últimas horas revelaram que, a princípio, deve ser permitida a abertura de comércios de rua. As autorizações, no entanto, serão atreladas à situação específica de cada área ou região. "O plano está em construção, em desenvolvimento, e depende da pactuação com os setores econômicos", afirmou o vice-governador Rodrigo Garcia.

Em Araraquara, a proposta apresentada pelo presidente da ACIA, José Janone Júnior, que prevê a abertura parcial do comércio em horários diferenciados (intercalando o horário de funcionamento das casas comerciais, com aquelas localizadas do lado par das ruas funcionando em períodos diferentes das do lado ímpar) foi novamente colocada na mesa e deve ser melhor discutida ainda esta semana, em outra reunião entre a administração municipal e as lideranças empresariais. 

Representando o setor empresarial, participaram da reunião, dentre outros, os presidentes da Acia, José Janone Júnior, do Sincomércio, Antonio Deliza Neto, e do SinHoRes, Fernando Pacchiarotti. 

Pela administração municipal, participaram do encontro o vice-prefeito e secretário do Trabalho e do Desenvolvimento Econômico, Damiano Neto; a secretária de Saúde, Eliana Honain; a secretária de Justiça e Cidadania, Mariamália de Vasconcellos Augusto; o secretário de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública, coronel João Alberto Nogueira Júnior; e a enfermeira Fabiana Araújo, da Vigilância Epidemiológica.

Revista Cidade

Publicidade